A balinha que adoça a vida

Quando viu o relógio, saiu apressado. Mal daria para um café.
Mais um dia longo e cansativo... Pegou seu carro, celular no bolso, gravata
na mão e o portão, onde estava o controle do portão?
A manhã linda o recebia em suas ruas, em seus jardins, mas ele só pensava nas reuniões, depois pegar as crianças que por certo iriam querer comer no McDonald´s.
Talvez fosse melhor deixar para amanhã o terno na lavanderia.
E, em meio aos pensamentos, reparou no trânsito.
Meu Deus! um engarrafamento quilométrico e ele ali, feito leão na jaula,
prestes a arrancar sua juba com seus próprios dentes!
Sabia que não dava para fugir do trânsito, que teria que esperar, mas não conseguia aceitar...
Quando, ao seu lado, um menino na rua, a dançar por entre
os carros, oferecia suas balinhas e seus versinhos:
- Uma balinha adoçará seu dia, duas balinhas adoçarão mais!
E dançava... E sorria... E, pela primeira vez no dia, ele se viu a sorrir para aquela criança. Ficou observando como se movia graciosamente por entre tantos carros de tantas
pessoas mal humoradas, e nada parecia lhe tirar aquele riso gostoso.
Ficou olhando a criança... e aos poucos pôs-se a relembrar sua infância:
A rua cheia de árvores, os ipês floridos, a cachoeira de águas cristalinas, os brigadeiros roubados da mesa da vovó, as brincadeiras ao anoitecer, seu jantar, seu cachorro.
Por um instante, fechou os olhos e percorreu toda sua vida, sua correria, suas dores,
suas alegrias e sentiu vontade de parar... e foi o que fez!
Encontrou um lugar e estacionou seu carro. Tirou seus sapatos e caminhou pela grama morna e suave do parque, sentiu a frescura do dia pairando em seu ser, agora mais renovado e, pela primeira vez, observou o dia: - Que dia lindo! Que céu azul!
Respirou fundo, sentia-se feliz, relaxado...por momentos lembrou-se de si mesmo,
dos seus olhos, da sua paz tão esquecida por entre a sua correria e percebeu como
isso era precioso para si mesmo e ele havia esquecido isso.
Como era bom ter um momento apenas para ser, existir e tinha tanto para sentir, tanto
para aprender. Poderia ser este um bom começo... percorrer seus dias com mais suavidade
e atenção. Percebeu que aprendia com aquilo que se permitia viver e agora, tentaria viver melhor, para aprender o melhor.
Pegou seu carro e foi para mais um dia de trabalho...
agora com uma nova visão da vida e do dia... que dia lindo!

Às vezes, na correria do dia-a-dia, esquecemos de observar a beleza da natureza,
a energia do sol, o verde ao nosso redor e o quanto é linda a vida
e o dia que temos a cada amanhecer, não é verdade?
Queremos que hoje você faça isso... olhe a vida com os olhos
da alma e do coração.... eles são sábios e com certeza sua
visão será bem melhor e você bem mais feliz.