A distância e o silêncio



A
princípio eu tive pressa de vê-lo voltar,
tive pressa pra mais uma vez perdoar,
mas os dias foram passando
e eu fui me perguntando
por onde andava você
que não aparecia pra me dizer
que errou, que se arrependeu.
Em seguida eu comecei a achar que eu
não tinha o tamanho da importância
que eu imaginava que você me deu.
E os dias continuaram a passar
e eu procurei me conformar
com o engano que havia cometido
tanto com você, quanto comigo.
A sua distância e o seu silêncio me fizeram ver
aquilo que eu nunca consegui perceber,
que um coração quando está muito machucado
prefere até ser esquecido e colocado de lado.
Mas enfim você volta e abre de novo uma porta
que eu não sei mais pra onde vai dar,
mas deve ser para algum lugar
onde eu vou me perder ou tentar me achar.

Silvana Duboc