A dor de um amor

Limpei todos os seus rastros
que estavam aqui espalhados,
com isso me senti aos pedaços
e com o coração estraçalhado.

De que adianta me embriagar com seu perfume,
me enrolar na sua coberta,
se você somente assume
essa sua vida tão incerta.

De que adianta viver de esperança
e numa eterna inconstância ?
Limpei tudo com muito cuidado
pra que não sobrasse nada
que pudesse me lembrar o passado.

Rasguei as suas cartas,
queimei suas fotografias,
apaguei toda e qualquer marca
que em mim ainda havia.

Do meu peito agora preciso arrancar
a dor que vai me machucar
e a tristeza que vai tentar me matar.

Será que se morre de amor
ou é a imensa dor
que vai nos consumindo
sem estarmos permitindo?

Será que a medicina não vai criar
algum remédio para curar,
ou ao menos amenizar,
a dor de um amor que nunca vai acabar?