A oração das 4 palavras

Há uma oração que resume tudo.
Deve ser a mais curta de todas as orações.
Tem apenas quatro palavras.
Mas, quando colocamos nela um ponto de exclamação,
uma só palavra é suficiente.
Talvez seja a mais humilde e mais profunda de todas as súplicas.
Ela é libertadora, ela lava a alma, ela faz prodígios.
Ao enfrentar o problema básico de qualquer pessoa, em qualquer lugar e em qualquer tempo, essa oração de quatro palavras, ou de uma só palavra, resolve tudo. Ela pode ser feita na primeira pessoa do plural, quando há absoluta concordância entre um grupo de 2 ou mais pessoas. Porém, em geral, é feita na 1ª pessoa do singular.
Essa extraordinária oração é: “Tem misericórdia de mim”, na versão de quatro palavras, e “Misericórdia!”, na versão mais curta.
Se a pessoa se sente bem, ela pode ampliar o quanto quiser essa oração, contanto que não seja modificada nem substituída.
O publicano da famosa parábola de Jesus
dobrou o número de palavras:
“Deus, tem misericórdia de mim, que sou pecador” (Lc 18:13).
O mesmo fizeram os dois cegos de Jericó:
“Senhor, filho de Davi, tem misericórdia de nós” (Mt 20:31).
A oração das quatro palavras faz parte da agenda de oração do salmista. Ela aparece duas vezes no Salmo 119 (vv. 58, 132).
Ele suplica a mesma graça outra vez mudando apenas o verbo e alongando a prece um pouco mais: “Alcance-me a Tua misericórdia para que eu tenha vida” (v. 77).
Quatro salmos começam exatamente com a preciosa oração
das quatro palavras (4:1; 51:1; 56:1; 57:1).
O salmista não sabe e não pode viver sem
a misericórdia do Senhor. Daí o clamor:
“Não me negues a Tua misericórdia, Senhor” (40:11).
Só por Suas misericórdias, Deus é capaz de ouvir estas três súplicas desesperadoras: “Lava-me de toda a minha culpa”, “Purifica-me do meu pecado” e “Apaga todas as minhas iniquidades” (51:2, 9).
Comece as suas orações pronunciando pausadamente e com a maior sinceridade possível: “Tem misericórdia de mim!”