A verdadeira conquista

O ser humano é, muitas vezes, contraditório.
Deseja muito um bem precioso, se dedica de corpo e alma em conquistá-lo, tem uma necessidade absoluta dele e, quando o considera alcançado, imagina que possa reduzir sua atenção e seu cuidado em mantê-lo. Um equívoco, quase sempre desastroso.
Porque nada é mais difícil do que a sustentação de um sonho.
Nada é mais tênue do que o entendimento numa relação.
Porque não são apenas sentimentos, valores e hábitos de duas pessoas que estão em cena. 
Tem bem mais... marcas do passado, influências de ambientes externos, competitividade de um mundo mutante e, sobretudo,
uma extraordinária, mas extraordinária mesmo, capacidade de querer
entender da gente, ao rever o papel de uma sociedade que vive de julgamentos, de avaliações, de punições... Porque, na vida a dois, não interessa quem está certo, nem quem é o errado.
Quando se busca a felicidade a dois, de verdade, o que conta é alcançar o objetivo, seja qual for o tamanho da contribuição de cada um.
Compreender que, quanto mais eu me dou a você, 
mais eu me completo.
Aceitar que, quanto mais eu te descubro, mais eu me revelo.
Que, quanto mais eu te entendo, mais a vida me faz sentido.
Porque você é a cada dia um ser novo e eu, todo dia,
nasço diferente para você.
Por isso, só vou estar próximo de uma conquista verdadeira quando, avaliando minha maior paixão, percebendo meu maior tesouro, eu te
imaginar exatamente do jeitinho que você é...