Acreditei demais

Acreditei demais
bebi cada palavra virtual
como real
e amei sem igual...
Tudo que saía de tua boca sorvi sofregamente,
palavras, promessas, beijos...
P'ra mim tudo soava como promessa de vida;
sedenta, diante do oásis no deserto,
aconcheguei-me...
Não entendo como e nem o porquê,
da boca que antes gotejava mel,
passou a expelir fel...
Palavras rudes a ferir-me sem dó.
E, ao invés da paz tão almejada,
uma guerra declarada.
Sinto muito se o decepcionei,
eu o avisei...
Não sei guerrear,
só sei amar, poetizar...
e, quando ferida, chorar.
Dissestes um dia:
"O mundo é dos fortes".
Por isso mesmo é que sinto,
partirei em breve dessa vida,
pois trago presa ao corpo uma alma frágil,
romântica, ferida...
E um coração cansado da vida
e de tanto sofrer,
por acreditar demais nos seres
e padecer.

Vanderli Medeiros