Ai que saudade de ocê
- Elba Ramalho, Zé Ramalho e Geraldo Azevedo -

Não se admire se um dia
um beija flor invadir
a porta da sua casa,
te der um beijo e partir
fui eu que mandei o beijo
pra matar meu desejo,
faz tempo que eu não te vejo,
ai que saudade docê...

Se um dia oce se lembrar,
escreva uma carta pra mim,
bote logo no correio,
com frase dizendo assim:
faz tempo que não te vejo,
quero matar meu desejo,
te mando um monte de beijos,
ai que saudade sem fim...

E se quiser recordar
aquele nosso namoro,
quando eu ia viajar,
ocê caía no choro,
e eu chorando pela estrada,
mas o que eu posso fazer,
trabalhar é minha sina,
eu gosto mesmo é de ocê...

Não se admire se um dia
um beija flor invadir
a porta da sua casa,
te der um beijo e partir
fui eu que mandei o beijo
pra matar meu desejo,
faz tempo que eu não te vejo,
ai que saudade de ocê...

Eu chorando pela estrada,
mas o que eu posso fazer,
trabalhar é minha sina,
eu gosto mesmo é de ocê...

Faz tempo que não lhe vejo,
quero matar meu desejo,
te mando um monte de beijos ,
ai que saudade sem fim...