Alfabeto emocional

O Dr. Juan Hitzig estudou as características de alguns longevos saudáveis e concluiu que além das características biológicas, o denominador comum entre todos eles está em suas condutas e atitudes.
“Cada pensamento gera uma emoção e cada emoção mobiliza um circuito hormonal que terá impacto nos trilhões de células que formam um organismo – explica.
As condutas “S”: serenidade, silêncio, sabedoria, sabor, sexo,
sono, sorriso, promovem secreção de serotonina, enquanto que as condutas “R”: ressentimento, raiva, rancor, repressão, resistências, facilitam a secreção de cortisol, um hormônio corrosivo para
as células, que acelera o envelhecimento.
As condutas “S” geram atitudes “A”:
ânimo, amor, apreço, amizade, aproximação.
As condutas “R”, pelo contrário, geram atitudes “D”:
depressão, desânimo, desespero, desolação.
Aprendendo este alfabeto emocional, lograremos viver mais tempo e melhor, porque o “sangue ruim” (muito cortisol e pouca serotonina)
deteriora a saúde, oportuniza as doenças e acelera o envelhecimento.
O bom humor, pelo contrário, é a chave para a longevidade saudável.”