Alguma vantagem

Tenho fingido e disfarçado,
depois, jurado e declarado,
insinuado e implorado
e você não tem notado.

Vai acontecer
mas, em mim, você não quer crer.
Eu vou desaparecer,
como poeira na beira da estrada,
como claridade na madrugada.

Eu vou sumir sem dar satisfação
e vou machucar seu coração
com as mesmas armas
que você feriu o meu.

Mas acontece que o seu
vai ficar bem mais dilacerado
porque está acostumado
a ser muito bem tratado.

Quanto ao meu já está conformado
de ser sempre machucado.
Alguma vantagem eu tinha que levar,
nem que fosse só na hora de acabar.

Silvana Duboc