Almas errantes

Sou cigana de alma
De corpo, pensamentos
Sangue quente correndo nas veias
E a música no coração

Saio sem destino no tempo
À procura de um lugar
Que seja o meu porto seguro
Onde em paz, possa ficar.

Procuro a energia da vida
Que venha me libertar
Dos meus fantasmas, meus medos
Dando cor em seu lugar.

Sou a cigana esperança
Cigana do fogo, da água
Temperança de elementos
Pronta a desabrochar.

Sou a cigana do amor
Cigana na lua, na rua
Cigana no espaço etéreo
Cigana em qualquer lugar.

Sou a cigana da vida
Que sente em suas entranhas
A força do sol, seu calor
Explodindo tal qual um vulcão

Nas minhas mandingas, feitiços
Bola de cristal e tarô
Vivo no espaço vazio
Procurando achar um amor.

Pois como cigana errante
Que vive pra cá e pra lá
Busco um cigano de alma
Que queira em mim, se encontrar.

©Neli Neto