Almofadas no chão

Você é uma criança e sempre será.
Por mais que os anos lhe pareçam pesos acrescentados à sua bagagem, você nunca esquecerá de uma caixa cheia de brinquedos.
Ainda que sua alegria de hoje não seja a mesma dos
anos primeiros, jamais lhe será possível esquecer
como era sorrir sem medo de ser feliz.
Mesmo que decepções tenham abalado sua confiança
nos semelhantes, vez ou outra você se lembrará de alguém
pequenino que há muitos anos lhe deu um
beijo todo melado, numa festa de aniversário.
Ainda que muitos amores entrem e saiam de sua vida, as lembranças do primeiro amor em nenhum tempo se apagarão de sua memória.
Depois de alguns fracassos, talvez hoje você creia que é difícil alcançar o sucesso, mas para sempre relembrará o orgulho que sentiu de si mesmo quando recebeu seu primeiro diploma.
Se hoje, pouco ou nada o surpreende, após tantos revezes, por certo nunca esquecerá a surpresa e o prazer que sentiu quando descobriu que Papai Noel era o seu papai.
Embora a solidão tantas vezes o assalte, em certos momentos você lembrará como era bom ficar sozinho, falando com seus amigos
invisíveis para "gente grande".
Se hoje, em dias de lazer, em praias ou campos, você se policia
todo o tempo para não sentir-se ridículo, é bem nesses dias
que você recorda como já foi gostoso andar sem vestes, inocentemente, e sem sentir vergonha.
Por mais que o tempo passe, você é uma criança e sempre será.
Agora você está aí, crescido, sofrido, cheio de boas e de más experiências, de vivências que o ajudam a prosseguir, mas lá no fundo - bem no fundo - você sabe que o alguém que mais tinha a lhe ensinar era a criança que você mandou ficar quieta, comportada, sentada lá num cantinho, não podendo abrir a boca sem pedir licença.
Seja qual for a sua idade, isso pouco importa à sua criança.
É só chamar e ela se aproximará.
Chame-a!
Ria com ela ... Brinque com ela ...
Ela está louquinha para fazer bagunça
e para morrer de rir de você e com você.
Alegre-a! Ela merece!
Você merece!
Não se importe com o que os outros possam pensar,
pois eles também são crianças e sempre serão.
Convide-os para um passeio no seu trenzinho elétrico.
Talvez eles se neguem a ir, mas um dia se arrependerão.
Ande sem medo de cair.
Para crianças, Deus coloca almofadas no chão.

Silvia Schmidt