Alto risco

Quando o meu coração sangra
o seu sangra também,
quando o meu cicatriza
o seu diz amém.
Quando minhas lágrimas rolam
as suas se transformam
num rio com afluentes.
Quando o meu corpo sente
que longe do seu não pode mais ficar
o seu, dentro do meu, já quer se encaixar.
Quando eu vou, você está voltando
e aí nós nos encontramos.
Quando eu venho, você nunca vai,
se eu chego, você nunca sai.
Porque eu sou sua e você é meu,
porque eu não sei dizer até logo
e você jamais diz adeus.
Porque se não fosse tudo isso
nossa vida seria de alto risco.
Porque eu sou a centelha
que o ilumina e clareia
e você é o vulcão
que, por mim, entra em erupção.
Porque eu sou o seu amor
e você é a minha paixão.

Silvana Duboc