Amanhece...
 
Amanhece e meus olhos de vigília,
Seguem os escuros se desfazendo
No éter, logo tudo será luz outra vez...
Só eu ainda estou aqui chorando...
Querendo amanhecer também,
Voar alto como os pássaros,
Cantando... num eterno vai e vem.
Que a dor de ontem se desfaça
E que eu possa crer ainda...
E não encontre no caminho
Essa desdita amarga e infinda...
Quero meu Pai Amado confiar,
Amar sem pontos obscuros...
Perdoar ainda que não entenda,
Ainda que a vingança clame resposta...
Esquecer como uma criança
E em meio ao pranto sorrir.
Levanta-me senhor!
Ilumina-me Senhor!
Preciso ainda acreditar na bondade
E banir do coração qualquer rancor!
Se é que eu mereço, tirai de mim tanta dor!
Eu ainda sou boa, ainda há tempo...
Tenha piedade de mim Senhor!

© Mary Trujillo