Amante

Sou aquela
Que abre a janela
Pra sentir chegar primeiro,
Do seu amante,
O gostoso cheiro...

Ele vem, apressado,
comigo fazer amor,
Pra depois, dormir, calmo,
Feliz, satisfeito,
No meu regaço ou no meu peito,
Pois dou-lhe o melhor de mim
E este amor não tem fim...

Quando acordar
Será como um
Menino novamente
Revigorado e contente
Para mais uma vez enfrentar,
Ao final do dia,
O regresso a uma casa
Onde jamais teve alegria

Entristece, então, ao lembrar
Da vida falsa que leva
Ao lado de quem, estar,
Já não mais queria...
Mas fazer o que,
Se a vida é uma grande ironia?

Eleonora
18.11.03