Amor incoerente

Noites insones
Visões, alucinações
Desejo de ir, vontade de ficar
Vozes a gritar teu nome
Parece que saio do amor
E penetro na loucura
Tantas são as contradições!
Se amo, por que sofrer?
Por que me amargurar?
Ah, essa incoerência
Que me leva a fechar
Olhos e ouvidos a tudo
Tornando-me cego e surdo!
Te amar, mais que uma obstinação
É obsessão
Da qual jamais desistirei
Mesmo de forma incoerente
Ainda assim te amarei
Surda e cegamente

Walter Pereira Pimentel