Anestesia

Se a minha palavra não bastar
eu posso tentar provar
que ainda quero você
do jeito que só eu sabia querer.
Se a minha palavra parece não valer nada
e as minhas atitudes são desencontradas
é a forma que eu achei de me enganar
que deixei de o amar.
Mas lá no fundo, no mais profundo
esconderijo do meu coração
você ainda mexe com a minha emoção.
Hoje você existe no meu silêncio
como, talvez, eu exista no seu.
Não restaram mais espaços pra tentativas,
ficaram para trás as nossas investidas.
No fundo eu sempre soube
que a nossa história não tinha futuro,
não passou de um tiro no escuro.
Já não tenho mais direito de sofrer
por nós dois o tanto que sofri no passado
porque o que nunca houve
agora está definitivamente terminado.
O que doía deixou de doer,
descobri a anestesia pra não sofrer.
Fico acreditando que, apesar de tudo,
você é meu e eu sou de você.

Silvana Duboc