Aquelas palavras

Eu poderia fingir que nada aconteceu,
mas o coração que está sofrendo é o meu.
Eu poderia passar por cima das suas palavras,
simplesmente ignorá-las,
fazer de conta que não foram ditas,
mas meu coração, nelas, acredita.
Foram pronunciadas com tanta aspereza,
e uma imensa dureza
que será impossível esquecê-las,
tampouco compreendê-las.
Eu poderia seguir adiante
e ignorar aquele instante
no qual você me feriu,
mas não posso fazer de conta
que meus ouvidos, tais palavras, não ouviu.
Eu poderia, até, esquecer o acontecido,
imaginar que ele foi diluído
pelo tempo e pela distância
mas, seria, de minha parte, uma ignorância
achar que entre nós nada ocorreu
porque o coração que se partiu foi o meu.

Silvana Duboc