Arquivo morto

Procurei na burguesia
(www...)
no centro,
(e-mail)
na periferia,
(yahoo.com)
na favela.
(spam)
Te coloquei na busca.
Percorri a linha amarela,
(zona de risco)
estacionei na vermelha.
(por ti arrisco)
Fiz tudo que me deu na telha.
Não vacilei,
muito menos cochilei.
Um olho na janela,
outro na tela.
Culpei o provedor
do sumiço do meu amor.
Parei com a procura.
Erros virtuais o windows depura.
Na real não tem cura!
Estás mesmo é esquivo.
Será que no teu coração
virei mais um arquivo?

Rosa Pena