Árvore do Amor

O Amor, meu amigo, não vai aparecer de repente,
como num passe de mágica, no teu coração.
É verdade que está lá, latente como uma semente.
Tens, no entanto, que plantá-lo, cultivá-lo e cuidar dele
por muito tempo, para que um dia frutifique.
Inicialmente, tens que saber que esta semente esta lá, e te dispores a cultivá-la.
Entender, com a tua mente, que é pelo Amor que encontrarás a felicidade.
O primeiro passo consiste em cavar a terra do teu
coração para lá plantares esta semente.
Este cultivo é duro, difícil e demorado.
Requer que se arregasse as mangas e, com as próprias mãos,
se cave a terra e a adube, o que custa muitas dores e sofrimentos.
Depois, o tempo passa e este também é um período difícil, de espera, onde
não se vê o trabalho recompensado, porque a semente germina escondida.
Tempo duro em que a desesperança toma conta do ser, tempo
em que se tem que ter Fé, quando o sol e a chuva,
ainda que não vejamos, fazem germinar a semente.
Este sol e esta chuva são as lutas de cada dia, daqueles
que esperam a germinação da semente que foi plantada.
Muitos se perdem neste sol e nesta chuva.
Um dia, quando menos se espera, aparece na terra o primeiro broto do Amor. Momento de felicidade e esperança, quando a Fé é recompensada.
Este também é um momento perigoso, porque muitos, neste instante,
se perdem, param , acham que encontraram o Amor.
A árvore existe, porém é frágil e pode morrer com facilidade.
É tempo de mais trabalho, de proteger esta árvore dos ventos,
do sol, da chuva e do orvalho.
Tempo de ser forte para não deixar que as intempéries
matem o Amor que nasce.
Outros tantos, por fraqueza, aqui se perdem!
Com o passar do tempo, a árvore cresce, formando uma
copa frondosa que dá sobra e conforto.
Belo momento, quando se pode enfrentar as lutas da vida sob esta sombra acolhedora. Neste tempo, vem a dificuldade maior daquele
que cultiva o Amor: é o tempo da poda!
De novo, tempo de dores e de sofrimentos.
Tempo de amor difícil, duro, reto, mas necessário.
Tempo das flores! Primavera do Amor! Beleza e perfume !
Ainda tempos difíceis !
Há que se ter controle neste momento para não se colher as flores,
e, desta forma, impedir que se gerem os frutos.
Destes momentos, que cada vez são mais difíceis, este é o pior, pois,
julgando ter o Amor e se julgando merecedor e credor desta árvore e desta flor, muitos se perdem, embriagados pela grandeza do instante.
Colher a flor da árvore do Amor, traz simplesmente uma satisfação momentânea; há que se esperar o fruto.
O caminho é longo e duro, com dificuldades a cada tempo.
Um dia, a flor se transforma em fruto.
Neste tempo se compreende que o fruto desta árvore não tem outra finalidade que não seja a de gerar mais sementes de Amor, recriando este ciclo.
Então se entende que o verdadeiro Amor se basta
a si mesmo, não necessita recompensa.
O verdadeiro fruto da árvore do Amor vai estar dentro do plantador!
O Amor não dá outro fruto que não seja o próprio Amor.
O ciclo do verdadeiro Amor não tem início e nem fim.
Ele é a própria luta pela vida!

A. Brandão