As pessoas não amam igual

Tenho me perguntado
por que tantos corações,
sem explicação, são abandonados.
Por que diversos amores,
no meio do caminho, são assassinados.
Tenho tentado entender
como isso pode acontecer.
Tenho sentido que no geral
as pessoas não amam igual.
Umas amam com grande intensidade,
outras sem nenhuma especialidade.
Certos amores são enriquecedores,
enquanto outros, mestres e doutores
em ferir, apunhalar,
destruir, machucar.
Percebo que, atualmente,
um grande amor se vê raramente.
E tenho visto pessoas que,
embora juntas, vivem desgarradas
e cada vez menos vejo almas apaixonadas.
Por onde será que anda a emoção
e o incêndio de paixão
que outrora era tão fácil de ser encontrado?
Foi o amor que se modificou
ou é o ser humano que está mudado?

Silvana Duboc