Brincar de amar

Já vai longe meu momento de amor,
longe também vai a minha dor,
mas ainda insisto em me perguntar
por que você resolveu se aproximar
e se fez passar por alguém apaixonado
se não era esse o seu estado.

Me pergunto se tudo fez parte de uma brincadeira
ou se sua insanidade é constante e verdadeira,
se usar das pessoas é o seu divertimento
e se dentro de você não existe resquícios de sentimento.

Me pergunto se a felicidade não faz falta pra você,
se a sua vida é cada vez mais empobrecer
seu próprio coração que a outros magoa e nunca é magoado,
que tanto fere e jamais se coloca do outro lado
para ao menos perceber
o quanto você faz pessoas sofrer.

Me pergunto por que tanto prazer
em sempre se fazer passar
por alguém que sabe bem o que é amar.
A palavra amar não existe no seu vocabulário,
quanto ao sentimento vá buscar o significado no dicionário.
Amar é coisa que só aporta em grandes corações,
É um sentimento que engloba todas as emoções.

Amar é coisa pra gente inteira e de verdade,
é pra gente evoluída de espírito e que vive de sinceridade.
Amar não é coisa pra alma inferior
e quem brinca de amar acaba tendo seu momento de dor.

Amar é um ato sem explicação,
um ato de pura dedicação.
Infelizes daqueles que nunca aprenderam a amar
e que usam do amor para se aproveitar
de quem aprendeu com perfeição
o ato de amar sem nem uma restrição.

Já vai longe o meu momento de amor
e, claro, a minha dor,
mas nunca cansarei de me perguntar
por que você brincou e ainda brinca de amar.

Silvana Duboc