Carta ao meu futuro amor

Não sei onde você está,
mas, mesmo antes de você chegar,
algumas coisas gostaria de lhe falar.
Primeiro quero me apresentar:
Sou jovem o suficiente
para amar ardentemente,
sou uma senhora envelhecida
que busca um amor à moda antiga.
Sou tolerante com as dificuldades,
apenas não aceito falsidade.
Sou meiga, carinhosa,
calma e generosa.
Sou forte como um furacão
na hora de defender meu coração,
por isso não me use, não me jogue fora
e depois vá embora.
Não brinque com os meus sentimentos
nem por um único momento.
Não tente me modificar
como se eu fosse massa que você pode modelar.
Respeite os meus desejos e opiniões
e aceite as minhas decisões.
Me ame com intensidade
e me prove esse amor com assiduidade.
Prometa nunca discutir a relação
pois os casais que a discutem
nunca chegam a nenhuma conclusão.
Se eu confessar que adoro orquídeas
não se acanhe em me dar margaridas,
isso não vai alterar as nossas vidas.
Se descobrir que eu gosto do verão
e você gostar mais de outra estação
eu conviverei bem com essa situação.
Se você preferir café amargo
pingo gotinhas no meu e tomo do seu lado.
É, sou assim, acho que tudo pode ser solucionado.
Na hora de fazer amor comigo
me faça ver estrelas junto contigo.
Mas, caso perceba que chegou a hora
de se afastar de mim
é claro que eu vou achar ruim,
mas se você souber se despedir
eu aceito o que você decidir
pois sei que não há amor que possa resistir
em estado de solidão.
Apenas quando partir não leve meu coração.


Silvana Duboc