Chega...

Chega uma hora na vida em que,
de tanto querer, a gente não quer mais.
Não quer mais a vida feito um vulcão
em ebulição, não quer mais viver em busca;
quer a paz do caminho sem tantos abismos,
quer menos curvas e mais atalhos.
Não quer mais o que faz perder o sono,
o que desconforta o pensamento.
Não quer mais aventura nem risco,
só a emoção do que pega leve,
do que abre o sorriso lentamente,
do que não parte às pressas,
nem deixa marcas profundas e sangrentas.
Chega uma hora na vida que,
ou fazemos a opção por nós mesmos,
ou morremos extenuados,
sempre à procura do que
nunca encontraremos.

Aila Sampaio