Com carinho... Com amor!

Teus beijos...
São como mel para minha boca, são frutos de um desejo proibido...
Por mais longe que estejas, não me importo, sei que me amas.
O amor nos traiu, colocou-nos em uma enrascada da qual não sabemos mais como sair, para onde ir... e agora?
Não sei se me martirizo na boemia ou luto por meus desejos.
O que fazer?
Amar-te quando não posso, ou esquecer-te... quando não quero...
Já não penso mais, vivo os dias em busca de ti, ou ainda mais, em busca de mim, porque me perdi, indo atrás de ti.
Por que te quero tanto quando não posso?
O que me faz querer-te?
O que me faz te amar?
Como gostaria de saber tudo isso... Mas não sei...
Acho que somos como pássaros que voam com o bando, na mesma direção, mesmo sem saber por quê. Mas sempre encontram um abrigo para fazerem seus ninhos.
Terei eu que aceitar meu destino?
Quando não o quero?
Será que existe algo pré-determinado?
Algo que, mesmo contra a nossa vontade, nos obrigue a segui-lo?
Queria ser Deus...
Para que não existisse o amor assim.
Algumas armas ferem...
Mas o amor não vivido, mata.
Sigo minha dita sina, mesmo que isso me leve para mais longe de ti,
mas sei que sempre vou te amar, mesmo que nunca
te tenha em meus braços...

Com carinho, com amor...
de alguém que, por mais longe, ainda te ama.

Alan Formagi