Confia na saudade

Quando a saudade visitar tua casa,
Abre-lhe a porta, ela é confiável.
Ela é visita sempre inevitável
Quando uma ausência queima feito brasa.

Se ela disser que vem para ficar,
Não tenhas medo, é boa companhia.
Tua casa, assim, não ficará vazia.
Ela só vem para te acalentar.

Acalentar teu coração ferido
Pela tristeza, por um bem perdido,
Pelas angústias do irremediável.

Aceita a vinda dessa doce amiga.
Ela é o abraço que te aquece e abriga
Das tempestades do irrecuperável.

Silvia Schmidt