Coração cauterizado

A insensibilidade é consequência de um coração cauterizado quando a
gente passa a não se afetar com a necessidade do nosso próximo.
Talvez, uma das maiores desordens no relacionamento interpessoal nos dias atuais é a insensibilidade diante da necessidade e carências do próximo.
É sabido que toda ação é seguida de uma reação contrária equivalente e, apesar dessa definição estar no campo da Física, parece-nos aplicável
às emoções dos indivíduos.
O que leva as pessoas a se afastarem das outras, principalmente quando as "outras pessoas" estão atravessando uma fase difícil e mais precisam de ajuda? Uma frase comum que talvez explique em parte este comportamento é:
"Gato escaldado tem medo de água fria".
É o "rolo" na compra do carro, do aluguel, do dinheiro emprestado,
e muitas outras situações que têm produzido esta prevenção excessiva e, como consequência, a insensibilidade.
O coração ferido e a falta de perdão fazem com que as pessoas projetem
nos outros seus traumas, temores, decepções, raivas, desconfianças e até
o chamado pré-julgamento, que quase sempre é feito com base apenas
e tão somente na aparência.
Quando não nos damos a chance de sermos tratados (curados) dos nossos males, principalmente da alma e das emoções, ou não usamos de misericórdia para com os outros, ou nos tornamos juizes mordazes de tudo e de todos. Esse comportamento nos traz severos resultados. Nos tornamos pessoas solitárias e infelizes, desenvolvemos a habilidade de reagirmos com frieza,
nos tornamos insensíveis e até cruéis. Quando não se exercita perdão e misericórdia, o coração fica cauterizado, a vida passa e nós não percebemos.
À medida que a sociedade se mecaniza, automatiza e a cibernética aparece como solução mágica para tudo de maneira rápida, eficiente e objetiva, nós, os humanos, pensamos que podemos utilizar esses processos e sistemas
como substitutos da própria vida.
A partir desta realidade, aparecem coisas incríveis e anti naturais.
Entre elas, fazer amor por computador, comunicar-se somente através
de máquina, gastar todo o tempo útil na frente da TV, ser crente por programas de televisão e não sair para comprar nada.
Afinal, podemos fazê-lo, usando o telefone e a internet.
Talvez nesse momento tão "avançado" do mundo "moderno", nos falte apenas a caverna de pedra para o corpo, pois a alma e os sentimentos
já estão aprisionados em cavernas há muito tempo.
Vamos nos dar a chance novamente de errarmos ou acertarmos nos nossos relacionamentos interpessoais. Isso é humano, natural e faz bem. Afinal estamos vivos, e os tropeços, acertos e erros fazem parte da vida maravilhosa que Deus nos deu e que vale a pena ser vivida em toda a sua intensidade. Não sejas demasiadamente justo, nem demasiadamente sábio.
Por que te destruirias a ti mesmo?
Eclesiastes 7.16