Da sabedoria judaica

A menor constituição do mundo

Um grupo de sábios judeus reuniu-se para tentar criar a menor Constituição do mundo. Se alguém fosse capaz de definir - no espaço
de tempo que um homem leva para equilibrar-se em um só pé - as leis que deviam reger o comportamento humano, este seria considerado
o maior de todos os sábios.
- Deus pune os criminosos - disse um.
Os outros argumentaram que isto não era uma lei,
mas uma ameaça; a frase não foi aceita.
- Deus é amor – comentou outro.
De novo, os sábios não aceitaram a frase, dizendo que
ela não explicava direito os deveres da humanidade.
Neste momento, aproximou-se o rabino Hillel.
E, colocando-se num só pé, disse: - Não faça com seu próximo aquilo que você detestaria que fizessem com você; esta é a Lei.
Todo o resto é comentário jurídico.
E o rabino Hillel foi considerado o maior sábio de seu tempo.

Tapando o sol com a mão

Um discípulo procurou o rabino Nahman de Braslaw:
- Não continuarei mais meus estudos dos textos sagrados - disse. - Moro numa pequena casa com meus irmãos e pais,e nunca encontro as condições ideais para concentrar-me no que é importante.
Nahman apontou o sol, e pediu que seu discípulo colocasse a mão na frente do rosto, de modo a ocultá-lo. O discípulo fez isto.
- Sua mão é pequena, e no entanto conseguiu cobrir totalmente a força, a luz e a majestade do imenso sol.
Da mesma maneira, os pequenos problemas conseguem lhe dar a desculpa necessária para não seguir adiante em sua busca espiritual.
“Assim como a mão tem o poder de esconder o sol, a mediocridade tem o poder de esconder a luz interior.
Não culpe os outros por sua própria incompetência.”

Parece muito óbvio

Perguntaram ao rabino Ben Zoma: - Quem é sábio?
- Aquele que encontra sempre algo a aprender com os outros
- disse o rabino.
- Quem é forte?
- O homem que é capaz de dominar a si mesmo.
- Quem é rico?
- O que conhece o tesouro que tem: seus dias e suas horas de vida, que podem modificar tudo que acontece a sua volta.
- Quem merece respeito?
- Quem respeita a si mesmo e ao seu próximo.
- Isto tudo são coisas óbvias – comentou um dos presentes.
- Por isso são tão difíceis de serem observadas - concluiu o rabino.

Sobre o despertar

O Rabino Jacob costumava dizer:
“É melhor um único momento de compreensão neste
mundo, que toda a eternidade no mundo que virá.
“É é melhor um único momento de paz interior neste
mundo, que toda a eternidade em paz.
“Por que? Um simples momento de compreensão neste
mundo traz em si a própria eternidade. E a paz que encontraremos no mundo que virá, está presente em cada minuto de paz nesta vida.”