Dança do Prazer

Me convidas pra dançar
Depois dos martinis
E do jantar à luz de velas...
Penumbra, música romântica
Envolvente, inebriante....
Teus olhos nos meus olhos,
Tua boca busca a minha
Que responde, ávida...
Teu corpo está colado ao meu
E tuas mãos deslizam por
Minhas costas, arqueadas
Pelo teu toque suave...
Minha respiração quase pára
Quando tua boca desce e
Meus seios encontra,
Depois que uma alça do
Vestido se solta e
Tua mão, de leve,
Empurra a outra...
O vestido desliza
Corpo abaixo e jaz no chão.
Me beijas o ventre
As coxas, os pés e retorna...
Vais subindo...
Quando beijas minhas coxas
Minhas mãos aflitas
Guiam tua cabeça ao encontro
Do meu sexo que lateja...
Minha respiração acelera,
Tua respiração me arrepia....
Meu cheiro de fêmea no cio
Invade tuas narinas,
Enlouqueces com ele...
Meu fluído escorre,
Tua língua o apara,
Tua boca o engole
E, entre gemidos roucos,
Explode meu prazer...
Deliras junto comigo
Querendo tomar posse
Do meu corpo em êxtase
Me encostas na parede
Levantas minha perna e
Minha mão, sôfrega,
Te guia pra dentro de mim...
Páras à entrada da gruta
Molhada e quente
Só pra me deixares
Ainda mais ávida de ti....
Me penetras com tanta suavidade
Que me sinto desfalecer
Mordes meu pescoço
Beijas minha boca
Com paixão alucinada
Me viras de costas
Inclina teu corpo sobre o meu
E, então, me penetras
Com a força de um garanhão...
O teu desejo, nessa posse,
Aumenta ainda mais o meu...
E vais e vens, pra frente e pra trás,
Num movimento ritmado
Forte, intenso, louco, quente...
Me agarras, me apertas,
Me puxas pela cintura,
Me dizes palavras vulgares
E eu, louca de tesão, te peço:
- Vem, vem, vem....
Gritas meu nome e
Me dizes, insano: Te quero!,
Com voz rouca, estrangulada,
E teu prazer explode violentamente,
Me inundando o corpo e a alma...
Teu líquido quente, em mim,
Me faz estremecer e, outra vez,
Entre gemidos loucos, roucos,
Explode, intenso,
Novamente, o meu prazer...

Eleonora
09.02.03 - 13h03