De igual pra igual
José Augusto

Você mentiu
Quando jurava prá mim fidelidade
Fui apenas um escravo da maldade
Você quis, você lutou e conseguiu

Você feriu
Sentimentos que a ti eu dediquei
Quantas vezes o seu pranto eu enxuguei
Por pensar que era por mim que chorava

Você fingiu
Você brincou com a minha sensibilidade
É o fim do nosso caso na verdade
Só nos restam recordações

Não toque em mim
Pois eu descobri que você não é nada
Não podemos seguir juntos nessa estrada
É o fim do amor sincero que eu senti

Mas aprendi
Fazer amor pra te ferir sem sentir nada
Enquanto eu te amava você me enganava
De igual pra igual
Quem sabe a gente pode ser feliz

.*.*.*.*.

Você fingiu
Você brincou com a minha sensibilidade
É o fim do nosso caso na verdade
Só nos restam recordações

Não toque em mim
Pois eu descobri que você não é nada
Não podemos seguir juntos nessa estrada
É o fim do amor sincero que eu senti

Mas aprendi
Fazer amor pra te ferir sem sentir nada
Enquanto eu te amava você me enganava
De igual pra igual
Quem sabe a gente pode ser feliz

Não toque em mim
Pois eu descobri que você não é nada
Não podemos seguir juntos nessa estrada
É o fim do amor sincero que eu senti

Mas aprendi
Fazer amor pra te ferir sem sentir nada
Enquanto eu te amava você me enganava
De igual pra igual
Quem sabe a gente pode ser feliz