De novo, apaixonada....

Chega uma época na vida da gente, que se pensa que não
há mais nada a fazer com relação a AMAR.
Devo dizer que descobri que isso é mentira ou engano meu...
Pensava assim porque eu acabara de me desfazer de uma dor imensa, causada por um relacionamento de dez anos, quando descobri que só eu amei e do qual saí muito ferida emocionalmente....
Qualquer um sabe que amar sozinho não é amor;
é tristeza, decepção, desilusão.
Como consequência, fiquei descrente, fria, ressabiada e escaldada.
Sempre fui uma romântica incorrigível, mas chegou num ponto em que estava preferindo ficar sozinha do que ter outros e maiores dissabores.
Que pretensão a minha em achar que alguém tão babaca como eu, iria ficar imune a esse sentimento tão traiçoeiro e perigoso, mas tão doce, quente, envolvente e irresistível...
Porque, quando a gente se depara com a pessoa "certa", aquela que faz seu coração bater na garganta, de tão forte que é o sentimento que ela causa, você esquece que estava decidida a deixar isso pra lá, ao viver calma e tranquilamente na
companhia do seu gato (animal)...
E aí, lá estava eu, de novo, apaixonada...
Como?
Como sempre acontece, quando você baixa a guarda, porque pensa que está no controle de sua vida e tem total domínio
sobre suas emoções...
Hora do almoço, quarta-feira de feijoada maravilhosa,
num bar da Rua Aurora...
Despretensiosa, leve e calma, na certeza da paz interior que
havia recobrado há bem pouco tempo, conversando com amigas, entro no bar e dou de cara com alguém que, me olhando nos olhos, enxerga minha alma e invade meu coração.
Fiquei parada, sem reação, tremendo e me perguntando:
O que foi isso?????
As amigas me empurram para o fundo, onde costumamos
ficar e, durante todo o almoço, não tenho explicação para
o que aconteceu comigo.
Ao sair, reencontro aquele olhar...
Balancei, me assustei, mas sorri por dentro.
Em outros dois dias, o fato se repetiu...
No terceiro dia, novamente a quarta da feijoada, simplesmente entreguei a ele um bilhete com meus telefones, dizendo: Podemos conversar? Confirme!
Duas horas depois, ele me ligou...
Descobrimos, juntos, que amor à primeira vista pode ocorrer
em qualquer idade, mesmo depois de tantas decepções,
de ambas as partes, com outros relacionamentos...
O que realmente importa é o amor sincero, puro, verdadeiro, ainda que tardio, mas lembrando que todos dizem que
"amor não tem idade" e que é maravilhoso ser ridículo
quando se ama pra valer.
O resto, fica por conta da imaginação de cada um...

Lu Sanches