A declaração do olhar

Existem diversas maneiras de nos expressarmos, seja para declarar amor a alguém, seja para mandar alguém embora, seja para apenas fechar algum negócio, ou simplesmente conversar, trocando idéias soltas no espaço.
Podemos fazê-lo através de letras, ou seja, por escrito.
Pode-se declarar o mais profundo amor, ou o maior desprezo, mas sempre será "de letrinhas", faltando o toque real e, principalmente, a força do olhar, que é onde podemos descobrir a realidade dos sentimentos.
Uma amiga me enviou uma mensagem muito interessante,
cuja autoria é atribuída a Leonardo da Vinci, que diz:
"As mais lindas palavras de amor, são ditas no silêncio de um olhar".
É uma verdade incontestável. Quando estamos "olho no olho",
é praticamente impossível falsear a verdade.
Penso ser impossível nossos olhos acompanharem o calor de uma declaração de amor, se não estivermos sendo sinceros.
Da mesma maneira o inverso da situação...
Se amarmos alguém, não conseguiremos dizer que não amamos, sustentando a mentira no olhar.
Poderão argumentar que artistas de cinema e TV o fazem, pois, salvo quando estão contracenando com parceiros da vida real, são sempre romances fictícios. E eles manifestam sua paixão nos olhares candentes que dirigem às parceiras nos filmes ou novelas.
Concordo em parte, pois só os bons artistas conseguem mostrar a emoção da personagem no olhar.
Mas os verdadeiros artistas, "vestem" a figura da personagem.
Estão sendo realistas em sua representação.
Com seu talento, conseguem "sentir" totalmente o personagem.
E não é muito fácil encontrarmos esses bons artistas.
Muitas representações se perdem, porque o personagem não está sendo vivido com todo realismo, faltando o calor e a realidade do olhar...
Por vezes, não conseguimos, ou não queremos enxergar a realidade de um olhar... é quando estamos de tal maneira envolvidos, que não conseguimos vislumbrar o que está indo na alma de quem está conosco.
Como os olhos são o espelho d’alma, se soubermos captar a realidade
do olhar de quem conosco conversa, poderemos conhece
r seus reais sentimentos.
Quantas vezes encontramos pessoas melífluas, que evitam encarar-nos "olho no olho". Há que se desconfiar, ou pelo menos confiar
desconfiando de pessoas assim.
Descontando uma eventual timidez, essa "fuga ao olhar" pode denunciar um quê de falsidade. Ou pelo menos um certo receio de expor seus reais sentimentos, denotando alguma insinceridade de atitudes.
Se estamos agindo de boa fé, podemos estar errados, mas com a convicção de nossa certeza, porque não sustentar o olhar?
O olhar, na realidade, diz tudo... Se estamos apreciando a companhia,
se estamos amando, se estamos odiando, se a piada é boa ou não,
se estamos ou não dizendo a verdade...
A indesmentível força do olhar é o melhor detector de mentiras que existe. Poucas pessoas conseguem vencer o teste "olhometral", e sair incólumes. Geralmente deixam pelo menos a reputação arranhada.
Por exemplo: raro é o político que encara o interlocutor nos olhos, francamente, pois geralmente seu olhar "passeia" por todo o ambiente. Quando conversarem com algum, reparem, prestem atenção na "flutuabilidade" de seu olhar. Estará percorrendo todo o ambiente,
mas jamais se fixará no seu... Poderá até dar um ligeiro olhar na sua direção, mas estará falando e seus olhos "passeando"...
Imagine-me olhando firme em seus olhos, enquanto lhe desejo
um lindo dia, e sinta que o faço sinceramente.
A luz que brilha em seu olhar, indicará sua sinceridade,
e que está realmente a amar...

Marcial Salaverry