Deixe estar

Se em qualquer tipo de relacionamento, nós desejamos mudar as pessoas, nós não estamos preparados para a solidão,
mas acabaremos sozinhos.

Se diante de situações aparentemente difíceis, nós saímos
pela tangente sem focar uma possível saída, nós não estamos preparados para situações difíceis, mas sempre acabaremos trombando com dificuldades.

Se somos do tipo que grita, que briga, se agita por qualquer coisa
e com qualquer um, nós não estamos preparados para viver
dias tormentosos, mas raramente teremos um dia de paz.

Se nos queixamos de rotina, nos deixamos esmagar pelo tédio e arrastamos nossa vida pelos dias afora, nós não estamos preparados para aparentes repetições, mas a ansiedade e a tensão paralisarão nossas forças e taparão nossos olhos para constantes novidades.

Refletindo:

Aceitemos as pessoas assim como aceitamos as rosas,
mesmo com seus espinhos.

Olhemos as dificuldades assim como olhamos para crianças indóceis e bagunceiras.
Nós sabemos que elas não são maiores do que nós.

Tenhamos sob controle as emoções que nos rebaixam a ponto
de gritarmos e nos agitarmos.
Os "brigões" são cômicos, barulhentos e medrosos.
Sejamos silenciosamente fortes.

Encaremos a rotina com bons olhos.
Todas as belezas da criação são aparentemente repetitivas;
no entanto, a Natureza está em permanente e eterna mutação.

Sejamos seres naturais. Aceitemos a Vida como ela se apresenta
e ela nos presenteará, através de nossas próprias mãos,
com a vida que sempre desejamos ter.

E quando nossa mente e nossa alma estiverem
sobrecarregadas de perguntas, calemo-nos,
paremos o pensamento e ouçamos o silêncio.
É nele que se encontram todas as respostas,
porque é nele que mora Deus.