Desculpe, foi engano!

Era uma vez um rapaz que tinha muitos problemas.
Sempre, em suas orações, pedia que Jesus viesse visitá-lo no seu sofrimento.
Um dia, Jesus bateu a sua porta.
Ele, maravilhado, convidou-o a entrar, e Jesus sentou-se no sofá da sala.
Na mesinha de centro encontrava-se uma Bíblia aberta no Salmo 91;
numa das paredes, estava pendurado um bordado com o Salmo 23 e,
na outra, um quadro da Santa Ceia.
"Senhor Jesus", disse o jovem, "gostaria de dizer que é uma honra recebê-lo em minha casa. Conforme o Senhor deve saber, estou passando por algumas dificuldades e preciso muito da Sua ajuda..."
"Filho", interrompeu Jesus, "antes de conversarmos sobre os seus pedidos, gostaria de conhecer sua casa. Onde é o lugar que você dorme?"
No mesmo instante o rapaz se lembrou que guardava, no quarto, umas revistas terríveis e se apressou em dar uma desculpa:
"Não, Jesus, lá não! Meu quarto não está arrumado!"
"Bem", disse Jesus, "e a cozinha, posso conhecer sua cozinha?"
O rapaz lembrou que na cozinha havia algumas garrafas
de bebida que ele não gostaria que Jesus visse.
"Senhor, desculpe, mas prefiro que não, a minha cozinha está vazia,
não tenho nada de bom para oferecer-lhe."
Neste instante, um barulho forte interrompe a conversa.
Pam, pam, pam...!
Era alguém que batia furiosamente na porta.
O rapaz se levantou, assustado, e foi ver quem era.
Abriu a porta, meio desconfiado, e viu que era o Diabo.
"Sai da frente que eu quero entrar!", gritou o tentador.
"De jeito nenhum", respondeu o rapaz, e assim começou a briga.
Com dificuldade ele conseguiu empurrar o Diabo e fechar a porta.
Cansado, voltou para sala e continuou:
"Então, Jesus", disse ele, "como eu estava falando
com o Senhor, estou precisando de tantas coisas..."
Mas, outra vez, a conversa foi interrompida por um
barulho forte que vinha da janela do quarto.
O rapaz correu para ver quem era e,
ao abri-la, se deparou novamente com o Diabo:
"Agora não tem jeito, eu vou entrar!", disse o inimigo.
Mais uma vez o rapaz se debateu com ele e conseguiu trancar a janela.
"Senhor", desculpe a interrupção, mas conforme lhe dizia..."
Outra vez, dos fundos da casa, ouviu-se tamanho barulho,
como se alguém quisesse arrombar a porta.
Era novamente o diabo que dizia: "Eu quero entrar!"
O rapaz, já exausto, lutou com ele e conseguiu mantê-lo do lado de fora.
Ao voltar, contrariado, disse a Jesus:
"Eu não entendo. O Senhor está na minha casa e
por que o diabo fica insistindo em entrar?"
"Sabe o que é, meu filho", explicou Jesus, "é que,
na sua casa, você só me deu a sala."
O rapaz humildemente entendeu a lição de Jesus e fez uma faxina
na casa para entregá-la aos cuidados do Senhor.
Neste instante, o diabo bateu mais uma vez à porta.
O rapaz olhou para Jesus sem entender, e o Senhor disse:
"Deixa que eu vou atender."
Quando o Diabo viu que era Jesus, que atendia a porta, disse:
"Desculpe, foi engano," e sumiu rapidinho.
Muitas vezes, é assim que acontece com o nosso coração.
Entregamos a Jesus só uma parte dele, apenas a sala, ficando as dúvidas a morar no quarto, o descaso na cozinha, o medo na varanda...
Então, lutamos e não vencemos, porque a casa está dividida.

"Os olhos do Pai passeiam por toda a Terra para se mostrar forte
para com aqueles cujo coração é inteiramente seu."