Desengano

Amor, como eu queria estar,
Agora, nos braços teus
E não sentir em meus lábios,
Este gosto amargo de adeus

Em sonhos, me possuías,
Com volúpia e com ardor,
Penetrando-me, fortemente, e
Inundando-me com teu calor

Mil juras, mil promessas,
De felicidade e amor sem fim
Mas você se foi, me esqueceu
E plantou a saudade em mim

Assim, tudo se acabou
Sem, ao menos, começar,
Deixando essa tristeza
Tão doída em meu olhar

Eleonora
07.02.03 - 20h56