Devolva-me

Quantas vezes em nossa vida,
não cantamos intimamente esta música?
Quantas vezes não demos
e pedimos coisas de volta?
Não recebemos e devolvemos?
Numa ânsia louca de remendar algo
que não se devolve,
que não se conserta,
que não se remenda: nossos corações ...
Quantas vezes, quando nosso coração está
em pedaços, devolvemos e pedimos coisas ...
tudo resolvido, mas ele continua ali,
chorando, doendo, sentindo...
Pois quando damos nossa alma a alguém,
não basta pedi-la,
não adianta somente chamá-la de volta,
porque ela só ouve a voz do tempo,
somente ele é capaz de fazê-la perceber
que é hora de voltar ...
Assim, muitas vezes, estamos longe de alguém,
mas nossa alma permanece ao seu
lado e só voltamos a ser completos,
nós mesmos novamente,
quando nossa alma, já cansada de chorar,
de sofrer, resolve vir ao nosso encontro,
e retornar de vez para nós ...
Então o coração cicatriza,
mas a marca permanece ali ...
e sempre que nossa alma olha para esta marca,
lembra-se de coisas...
de momentos ...
de músicas ...
Lembra-se que amou, que foi amada, mas
que isso foi noutro tempo, noutra época .
..