Diário de uma loira
(que acabou de tirar a carteira de habilitação):

5 de Janeiro: Passei no exame de direção! Posso agora dirigir o meu próprio carro, sem ter que ouvir as recomendações dos instrutores, sempre dizendo "por aí é sentido Proibido!", " Vamos sair da contra-mão!","Olha a velhinha!", "Freia! Freia!", e outras coisas do gênero.
Nem sei como agüentei estes últimos dois anos e meio...

8 de Janeiro: A Auto-Escola fez uma festa de despedida para mim. Os instrutores nem sequer deram aulas. Um deles disse que ia à missa, julgo que vi outro com lágrimas nos olhos e todos disseram que iam embebedar-se, para comemorar . Achei simpática a despedida, mas penso que a minha carteira não merecia tal exagero.

12 Janeiro: Comprei meu carro, e infelizmente tive que deixá-lo
na concessionária para substituir o pára-choque traseiro pois,
quando tentei sair, engatei marcha-a-ré ao invés da primeira.
Deve ser falta de prática. Há uma semana que não dirijo!

14 Janeiro: Já tenho o carro. Fiquei tão feliz ao sair da concessionária, que resolvi dar um passeio. Parece que muitos outros tiveram a mesma idéia, pois fui seguida por inúmeros automóveis, todos buzinando como num casamento. Para não parecer antipática, entrei na brincadeira e reduzi a velocidade de 10 para 5km por hora. Os outros gostaram e buzinaram ainda mais.

22 Janeiro: Os meus vizinhos são impecáveis.
Colocaram posters avisando em grandes letras " ATENÇÃO ÀS MANOBRAS ", marcaram com tinta branca um lugar bem espaçoso
para eu estacionar e proibiram os filhos de sair à rua enquanto durassem as manobras. Penso que é tudo para não me perturbarem. Ainda há gente boa neste mundo...

31 de Janeiro: Os outros motoristas estão sempre a buzinar e
fazer gestos. Acho isso simpático, embora um pouco perigoso.
É que um deles apontou para o céu com o dedo do meio.
Quando procurei ver o que ele estava apontando, quase bati.
Ainda bem que eu ia à minha velocidade de cruzeiro de 10km por hora.

10 de Fevereiro: Os outros motoristas tem hábitos estranhos.
Além de acenarem muito, estão sempre gritando. Não escuto nada, por estar com os vidros fechados, mas parece que querem dar informações. Digo isto porque julgo ter percebido um dizendo "Vai para Casa ".
Acho isso espantoso. Não sei como ele adivinhou para onde eu ia.
De qualquer modo, quando eu descobrir onde fica
o botão que desce os vidros, vou tirar muitas dúvidas.

19 de Fevereiro: A Cidade é muito mal iluminada. Fiz hoje meu primeiro passeio noturno e tive de andar sempre com o farol alto aceso, para ver direito. Todos os motoristas com quem me cruzei pareciam concordar comigo, pois também ligaram o farol alto e alguns chegaram mesmo a acender outros faróis que tinham. Só não percebi
a razão das buzinadas. Talvez para espantar algum bicho. Sei Lá.

26 de Fevereiro: Hoje me envolvi num acidente. Entrei numa rotatória, e como tinha muito carro (não quero exagerar, mas deviam ser, no mínimo, uns quatro), não consegui sair. Fui dando voltas bem juntinho no centro, à espera de uma oportunidade, de tal forma que acabei por ficar tonta e bati no monumento no centro da rotatória.
Acho que deviam limitar a circulação nas rotatórias a um carro por vez.

3 de Março: Estou em maré de azar. Fui buscar o carro na oficina e, logo à saída, troquei os pés, acelerando fundo em vez de frear. Bati num carro que ia passando, amassando todo o lado direito. O motorista era, por coincidência, o inspetor que me aprovou no exame de direção.
Um bom homem, sem dúvida. Insisti em dizer que a culpa era minha, mas ele educadamente, não parava de repetir para si mesmo:
" É tudo minha culpa! É tudo minha culpa! Que Deus me perdoe!"