Dieta do sexo
_Fernando Puga
_

Que fazer sexo é bom, emagrece e faz bem à saúde, todo mundo sabe. Mas você sabia que a lista de benefícios que ele traz pode ficar ainda maior se você tiver um parceiro fixo e viver uma relação feliz?
Explica-se: além de ser um exercício físico completo, a relação sexual praticada com envolvimento afetivo aumenta a auto-estima e proporciona uma liberação maior de substâncias e hormônios que causam a sensação de bem-estar e relaxamento.
Depois de fazer uma pesquisa com cerca de 3.500 pessoas,
o neuropsicólogo escocês David Weiss, do Hospital Real de Edimburgo, concluiu que fazer sexo três vezes por semana rejuvenesce.
E, pasmem: quem mantém essa média com um parceiro fixo e amado consegue aparentar até dez anos menos.
O ginecologista e sexólogo Théo Lerner, diretor do Centro Brasileiro de Estudos e Pesquisas em Comportamento e Sexualidade, explica melhor a teoria: "Dentro de uma história de envolvimento afetivo e emocional, a liberação hormonal promove também um aumento da auto-estima.
Quando o parceiro não é fixo, a ansiedade e a insegurança são maiores, já que existe uma preocupação com o desempenho,
a opinião do outro e o desenrolar da relação".
Além disso, em uma boa noite de amor - daquelas com direito a preliminares e grand finale - uma pessoa pode perder cerca de 400 calorias, o que equivale, mais ou menos, a uma hora de ginástica aeróbica, segundo a endocrinologista Lavínia Pereira.
"São quase dois chocolates!", diz ela. Esse número pode chegar às mil calorias, dependendo da duração, da intensidade e também da posição sexual dos amantes.
Mas a médica alerta: "O sexo é um exercício que também exige condicionamento físico. Abusar pode ser prejudicial, forçando musculaturas e causando esgotamento. Por isso, o amor e a compreensão são importantes também nesse aspecto".
O tônus muscular é outro favorecido nessa maravilhosa ginástica.
"O diafragma, que fica entre a barriga e os pulmões, se contrai com a aceleração da respiração e mexe os músculos abdominais", explica o professor de Educação Física e personal trainner Flávio Vianna. "Dependendo da posição, os músculos dos braços, das pernas e até dos glúteos também são trabalhados", completa. Até a pele agradece.
"O prazer sexual aumenta a produção de estrógeno,
o hormônio sexual feminino. Ele faz a pele ficar mais bem irrigada, brilhante, lisa e macia e influencia também cabelos e unhas",
afirma a dermatologista e esteticista Cláudia Ribeiro.
Para entender tantos benefícios, é preciso saber como se dá o funcionamento dos hormônios no nosso organismo: fabricados por glândulas e transportados no sangue, os hormônios fazem a comunicação entre os sistemas do nosso corpo. Na relação sexual, são produzidos, principalmente, a endorfina, a serotonina e a catecolamina, que provocam a sensação de bem-estar físico e emocional, e o GH, que é responsável pelo crescimento e pelo fortalecimento do sistema imunológico. A liberação desses hormônios, associada à descarga de adrenalina da fase inicial e do orgasmo, provoca uma sensação de prazer muito grande", explica o sexólogo Gilberto Hauer. Bem-estar que acaba se refletindo no corpo e na mente.
Enfim, sexo é muito melhor do que se imagina. "E quanto mais bem feito, mais as pessoas vão querer repetir", diz a psicoterapeuta de casais, Glória Badejo. Para ela, amar e ser amado é um fator crucial para viver em plenitude. "E um sintoma disso é estar mais bonita e atraente
para amar cada vez mais", finaliza.