É fácil... mas difícil é...

Fácil é... julgar um ser humano que está sendo massacrado por outros e exposto, muitas vezes, meramente pelas circunstâncias...

Difícil é... se colocar na mesma situação do outro e refletir sobre a quem pertence a responsabilidade dos erros vivenciados e cometidos...

Fácil é.... repetir-se de forma monocórdica e rotineira, realidades, situações e emoções, já sentidas e vividas, como se fossem repetições e cópias
porque estão sempre a mão...

Difícil é... tentar fazer-se diferente, no presente,
do que se fez ou foi feito no passado...

Fácil é... criticar a situação alheia e não refletir sobrea situação
que o outro passa e vive...

Difícil é... enfrentar as situações, junto com o outro, sabendo
o que fazer e tendo coragem para fazê-lo...

Fácil é... demonstrar intolerância e impaciência, quando algo o deixa irritado, sem lembrar que, talvez, o outro, tenha ainda mais razões para se sentir
fraco, sensível e vunerável...

Difícil é... expressar sentimentos e o amor a alguém que, realmente,
se respeita e se entende, mas que vive uma realidade de
muito sofrimento, tristeza e dor...

E é, assim... E é por isso, que muitos perdem, em suas vidas, pessoas especiais, a quem amam, e por quem são amadas...

Fácil é... fazer de conta ou ignorar o que aflige e magoa o outro...

Fácil é... continuar a própria vida, como se nada tivesse acontecido, acreditando que a solução para os problemas do outro não nos cabe
nem é de nossa responsabilidade...

Fácil é... camuflar aos quatro ventos o que não se deveria tentar camuflar...

Difícil é... mentir para o próprio coração, pois somente a verdade
constrói sentimentos e um amor, verdadeiros...

Fácil é... ver somente o que se quer enxergar...
quando e no momento que se quer...

Difícil é... perceber e saber que qualquer um pode se iludir
com o que acha ter visto ou ouvido...

Difícil é... admitir-se que todos podem ser levados, muitas vezes,
pelas aparências e pelas circunstâncias...

Fácil é... dizer "oi" ou "como vai?" sem uma real, prática
e objetiva preocupação com o outro...

Difícil é... dizer "adeus"...de forma definitiva, sem volta e nem retorno...

Principalmente, quando se é responsável, motivado pela impaciência, pela intransigência e pela incompreensão, que alguém tenha partido da sua vida...

Fácil é... abraçar, apertar as mãos e beijar de olhos fechados,
quando tudo está maravilhoso e todas as coisas correm bem...

Difícil é... transmitir energia, confiança e respeito que devem passar, de um para o outro... Pois serão elas que irão transmitir sangue novo e um novo ânimo para o outro que tanto dela necessita...

Difícil é... passar aquela força mágica que toma conta do corpo de cada um, como uma corrente elétrica, quando se toca a pessoa certa e se receber do outro um gesto, uma palavra e um carinho... tão esperados...

Fácil é... querer ser sempre amado... e bem amado...
a qualquer momento e para sempre...

Difícil é... amar completa e totalmente, o outro, mesmo que contra tudo e contra todos... Amar de verdade... sem que se tenha medo de viver,
e sem que se tenha medo do antes e do depois...

Difícil é.... Amar e se entregar, realmente, sem restrições
nem limites, aprendendo a dar um real valor a quem se ama...

Fácil é... ouvir a música que toca, muitas vezes, sem que a melodia penetre, realmente, no íntimo e na alma...

Difícil é... ouvir a própria consciência acenando o tempo todo
e mostrando atitudes e reações erradas que foram praticadas e cometidas...

Fácil é... ditar regras, normas e impor, ao outro, os seus próprios costumes, hábitos e filosofia de vida...

Difícil é... seguí-las questionando, antes, cada uma delas... antes de se exigir ou de se cobrar, do outro, o seu acatamento e cumprimento...

Difícil é... se ter a noção exata da própria vida, ao invés de
se ter apenas uma noção da vida do outro...

Fácil é... perguntar ou pedir ao outro o que se quer saber
ou o que se deseja ter...

Difícil é... estar preparado para um "não sei" ou um "não posso dar" e para escutar uma resposta sincera, sabendo entender esta resposta...

Fácil é... chorar ou sorrir, sozinho ou ao lado do outro,
quando se tem vontade... e tudo está bem...

Difícil é... sorrir, com vontade de chorar ou chorar de rir, de alegria,
compartilhando emoções e sentimentos...
nos momentos em que nada parece estar bem...

Fácil é... ocupar um lugar na agenda telefônica, um do outro....

Difícil é... ocupar o coração dele e fazer com que ele perceba e sinta
que ele ocupa um lugar, muito especial, no seu...

Difícil é... saber e sentir que se é realmente amado e que se ama, verdadeiramente, através de uma entrega, recíproca...

Sim, meu amor, fácil é... pensar que, porque se ama e se é amado,
tudo se torna mais fácil ou passa a ser menos difícil...

Difícil é... entender que, apesar de tudo, por mais que sonhemos
e queiramos só o amor e o amar não resolvem todos os problemas
do mundo... mas que ajudam, ajudam...

Roberto Romanelli Maia