Elogio aos porcos

Um fazendeiro colecionava cavalos e só lhe faltava uma raça.
Um dia ele descobriu que o seu vizinho tinha este determinado cavalo e atazanou-o até conseguir comprá-lo.
Um mês depois o cavalo adoeceu, e ele chamou o veterinário:
- Bem, o seu cavalo está com uma virose, é preciso tomar este medicamento durante 3 dias; no terceiro dia eu retornarei e,
caso ele não esteja melhor, será necessário sacrificá-lo.
Neste momento, o porco escutava a conversa.
Deram o medicamento e foram embora.
O porco aproximou-se do cavalo e disse:
- Força amigo! Levanta daí, senão serás sacrificado!!!
No segundo dia, deram o medicamento e foram embora.
O porco aproximou-se do cavalo e disse:
- Vamos lá amigo, levanta-te senão vais morrer!
Vamos lá, eu ajudo-te a levantar... Upa! Um, dois, três...
No terceiro dia, deram o medicamento e o veterinário disse:
- Infelizmente, se amanhã ele não estiver melhor, vamos ter que sacrificá-lo, pois a virose pode contaminar os outros cavalos.
Quando foram embora, o porco aproximou-se
do cavalo e disse: - É agora ou nunca, levanta-te depressa! Coragem! Upa! Upa! Isso, devagar! Ótimo, vamos, um, dois, três, agora mais depressa, vá... Fantástico! Corre, corre mais! Upa! Upa! Upa!!! Tu venceste, Campeão!!!
Então, de repente, o dono chegou, viu o cavalo correndo no campo e gritou: - Milagre!!! O cavalo melhorou.
Isso merece uma festa...Vamos matar o porco!

Reflexão:

Isto acontece com frequência no ambiente de trabalho. Dificilmente se percebe quem é o funcionário que tem o mérito pelo sucesso e saber viver sem ser reconhecido é uma arte.
Se algum dia alguém lhe disser que o seu trabalho não é de um profissional, lembre-se: "Amadores construíram a Arca de Noé
e profissionais, o Titanic".
Seja uma pessoa de valor, em vez de ser uma pessoa de sucesso.