És

Ouço ruídos, leves,
quase desapercebidos.
Mas são meus velhos conhecidos.
Parecem gotas de chuva na calha,
o vento que a areia espalha,
o toque do peixe na malha.

São rápidos, inconfundíveis,
quase invisíveis.
Deixo de rodeios.
Vou ao ponto.
São meus devaneios,
que surgem quando te leio.

Esqueço os tratos desfeitos,
as juras que fiz de não saber
nada mais ao teu respeito.
És ainda a causa e o efeito.

Rosa Pena