Escuta, meu amor

Escuta, meu amor,
agora é tudo diferente,
o tempo da dor
desapareceu de repente.
Agora fico só imaginando
nós dois, nos anos, voltando.
Eu podia ter feito o que não fiz
quando você tanto queria
e eu, com medo, não quis.
Escuta, meu amor,
embora o sofrimento
tenha acalmado,
dentro do meu coração
você ainda está guardado.
Há quem diga que um dia
você fugirá de lá,
eu, no entanto, aposto
que isso não acontecerá,
porque lá você está trancado
com chave e cadeado.
Escuta, meu amor,
assim sempre será
porque fui a única capaz de
o amar antes, durante e depois
de tudo que aí está.
Escuta, meu amor,
o que, um dia,
foi forte dentro de mim
continua sendo assim,
apenas mudou de aparência
porque adquiriu consciência.
Escuta, meu amor,
hoje não é menos, nem é mais,
continua sendo
na medida que o satisfaz.
Escuta, meu amor,
eu não o abandonei,
na verdade eu nem sei
como se faz isso.
Na minha vida
você é um compromisso,
sem aliança de noivado,
sem nenhum papel assinado,
sem um acordo firmado.
Escuta, meu amor,
escuta com muita atenção
para ouvir o que diz
a voz do meu coração.

Silvana Duboc