Estou me reconstruindo

Aos poucos estou me reconstruindo,
esse é um trabalho demorado,
mas eu vou seguindo
e acreditando que ele pode ser finalizado.

Não tenho pressa pra chegar do outro lado
por isso meus passos têm sido calculados.
Sigo devagar, sem desespero pra chegar,
sem dúvidas que no cume um dia eu vou estar.

A gente se estraçalha, se rasga, se despedaça
mas depois vai se juntando e de novo se montando.
Até mesmo da crença a gente se afasta
mas, aos poucos, ela volta e vai nos dominando.

Se reconstruir é algo que precisa de cautela,
de paciência, de calma, de espera.
É preciso de força e determinação,
de competência e decisão.

Eu venho me reconstruindo ao longo do tempo,
mesmo me ferindo em alguns momentos,
é que não existe vitória sem tropeços
e a vida às vezes cobra preços
que achamos impossíveis de pagar.

Mas é tudo uma questão de acreditar,
de em si mesmo confiar,
na vitória sempre apostar
e jamais desistir de tentar.

Na minha reconstrução ninguém pode me ajudar,
essa é uma tarefa solitária que tenho enfrentado,
é uma batalha extraordinária que tenho encarado.


Silvana Duboc