Eu fiz você chorar

Nada mais é como antes do meu ato infame
E por mais que reclame, não tenho razão.
Não encontro motivos que justifiquem o que fiz,
Agindo como um aprendiz em coisas do coração.

Maldita hora em que troquei seus carinhos
Por uma ave sem ninho, emoção de momento.
Como pude proceder, por um instante de prazer,
Trocar você, magoando-a... Deus meu, que tormento!

Eu fiz você chorar, causei-lhe lágrimas de dor,
E sem nenhum favor, também estou sofrendo.
Pedir perdão é muito pouco pelo ato insano
Mas como um louco, saiba que de amor estou morrendo.

Morrendo pela carência dos seus encantos,
Porque sua ausência me provoca prantos.
Sinto a falta do seu calor, dos beijos apaixonados
Regados de muito amor... Sei que estou condenado.

Porém, a esperança é a última que morre,
E quem sabe não me socorre, tendo pena de mim.
Quem sabe... Se você me perdoar, superar meu pecado,
Serei seu homem amado, fiel e eternamente apaixonado.


Dorival C. Fernandes