Eu não o perdôo

Não, eu não o perdôo!
Aliás, sequer você deseja ser perdoado,
porque, claro, não se acha errado.
Como de todas as outras vezes
não se considera culpado.
Não, essa eu não vou deixar passar
como sempre faço para lhe agradar.
Chega de me maltratar,
basta de eu me anular,
eternamente, ao seu favor,
chega de desculpar o que me magoou.
Não suporto mais sua aspereza,
seus ataques de indelicadeza
sem a menor razão,
sem nenhuma explicação.
Você parece que perdeu a noção
do que diz sem pensar
e eu não consigo mais me conformar
em meus carinhos lhe dar
e suas grosserias ter que suportar.
Só não se arrependa
quando eu me distanciar pois,
provavelmente, já será tarde pra eu voltar.

Silvana Duboc