Eu preciso do amor

Repita:
"Eu preciso do amor... Sou movido por essa força".
Todos querem o amor não é mesmo?
Então porque tantas brigas, desavenças e traições?
Por que tanta gente chorando,
com doenças e crises sem solução?
Por que tanta gente se lamentando, prostrados em quartos escuros, com medo, com verdadeiro temos de viver?
Por que tanto desencontro, tantas religiões, tantos pregadores,
tantas fórmulas, se existe apenas um Deus?
Por que tantas mortes, acidentes, brigas, discussões por nada?
Por que a humanidade, em sua maioria, sofre tanto?
Falta fé ou religião?
Falta dinheiro ou uma distribuição justa de renda?
Falta estudo e educação para todos?
Falta governo que seja mais honesto e justo?
Falta mais companheirismo e solidariedade no planeta?
Falta respeito?
Pode ser que você tenha mais alguns itens para acrescentar a essa lista, mas se somar tudo, colocar na grande panela do mundo,
ao reduzir o caldo, vai verificar que o que realmente falta
ao ser humano é amor. O puro e velho amor.
Existe alguém que pode agradar a todos?
Nem Jesus... afinal de contas o ser humano é o bicho
mais insatisfeito e mais difícil de agradar que existe.
Então, você acredita que a solução está em algum homem ou governo? Será que a inteligência traz a felicidade?
Então a solução está em estudar?
Ou será que o dinheiro traz a cura para as doenças
da alma, compra uma companhia que te entenda?
Nós precisamos do amor, amor com abundância e como espalhar e receber esse amor? Simplesmente amando a Deus sobre todas as coisas, em primeiro lugar e logo depois, amando-se sem medidas, sem exigências,
sem cobranças e comparações, para assim poder
“amar ao teu próximo como a ti mesmo”.
Quando o homem se resolver, quando ele se encontrar consigo mesmo, a humanidade finalmente viverá em paz, sem guerras, sem conflitos. Afinal de contas, o maior causador da dor, da violência, das doenças e sofrimentos, é o próprio homem que ainda não descobriu o potencial dessa arma poderosa que é o amor.
Quanta gente se perturbando por causa dos outros.
Quantos preocupados com o problema do outro, sem
resolver os seus próprios problemas. Quanta gente acreditando que a sua filosofia, a sua religião é melhor,
que a fronteira de suas terras é outra, que o seu gado
é melhor, sua roupa é mais bonita.
Cegos querendo dirigir cegos, doentes querendo curar doentes,
tolos querendo ensinar tolices...
Por favor, preocupe-se com você. Simplesmente ame-se
e distribua a sua alegria, o seu bem estar em forma de abraços,
beijos e alegria. O resto é resto e ponto final.

Paulo Roberto Gaefke