Eu volto a brilhar

Eu caio mas levanto,
eu choro mas enxugo meu pranto,
eu me perco mas me encontro,
eu me desarrumo mas me apronto.
Foi sempre assim a minha vida,
encaixada em outras vidas
que por mim eram vividas
e de repente eu me via esquecida
e de todas ia sendo despedida.
Eu posso ser feita de algodão
quando envolvem o meu coração,
fora disso sou feita de aço
e defino os meus passos.
Eu fraquejo e anoiteço,
eu surjo e desapareço
mas, cedo ou tarde, eu amanheço
e eu volto a brilhar
custe o tempo que custar
sem que precisem me ajudar
e muito menos me amar.

Silvana Duboc