Falsidades

Não devemos aceitar falsas demonstrações de estima
de quem sabemos não gostar de nós, de quem adora
puxar tapetes, de quem não deixa de falar mal daquele
que não estiver presente.
Essas pessoas devem ter a certeza de que as conhecemos
de fato e temos certeza de que a estima delas não procede.

Para evitarmos dores de cabeça desnecessárias e decepções descabidas, é preciso que tenhamos a consciência de que jamais,
em hipótese alguma, conseguiremos agradar a todos, tampouco seremos queridos sinceramente pela maioria das pessoas
com quem convivermos e, dessa forma, conseguiremos aceitar com mais tranquilidade as decepções que pontuarão os encontros e desencontros de nossa jornada.
Na verdade, a transparência sempre será bem vinda, onde e com quem estivermos, ou seja, saber com quem estamos lidando
nos ajudará a estabelecer os limites entre o que temos de melhor
e a falsidade alheia.
Ninguém é obrigado a gostar de nós, porém, todos temos o dever
de não fingir aquilo que não sentimos, porque o respeito deverá
ser mantido, ainda que diante de pessoas com quem
não temos a mínima afinidade.
Poderemos discordar do outro, não nos sentir muito bem perto dele,
não querer que ele seja amigo, mas certas situações nos colocarão junto dele, inevitavelmente, seja no emprego, na roda de amigos
em comum, onde for, o que importa é mantermos nossa relação
com ele estritamente no nível necessário.
Difamar alguém, tratá-lo mal, colocá-lo em situações vexatórias,
ou mesmo exagerar no sorriso junto dele, tudo isso nos tornará
ainda piores do que achamos que ele seja.
Da mesma forma, não poderemos aceitar as falsas demonstrações
de estima de quem sabemos não gostar de nós,
de quem adora puxar tapetes, de quem não deixa de
falar mal de quem não estiver presente.
Essas pessoas devem ter a certeza de que as conhecemos
de fato e temos certeza de que a estima delas não procede.
Levar adiante o que não é verdadeiro não trará nada de bom a ninguém e, pior, provavelmente a verdade se revelará
de maneira desagradável.
A verdade sempre será a nossa melhor defesa contra as armadilhas
de gente que tenta derrubar qualquer um que atrapalhe sua percepção doentia de mundo.
Não gostar de alguém é normal, mas ser antiético, maldoso
e desleal com quem não gostamos, nos torna desprezíveis.
O melhor a se fazer é não ir além do que a vida pede junto a essas pessoas, enquanto mergulhamos nos relacionamentos que alimentam o nosso coração, abraçando e acolhendo gente querida, gente que transpira amor recíproco.