Fidelidade: realidade ou utopia?

Utopia é pensar que fidelidade é apenas não trair sexualmente seu parceiro.
O buraco é mais embaixo. Manter um relacionamento, nos dias de hoje, em que
as pessoas estão cada vez mais voltadas para si e esquecem o verdadeiro
significado da palavra casal, não é para qualquer um.
Mas não se desespere! Sinceridade, amizade, carinho, diálogo e atenção são
algumas formas de manter a chama acesa.
Imortal não será, mas que seja, pelo menos, infinito enquanto dure.
O que significa fidelidade?
Fiel é igual a verdadeiro, quem não engana o cônjuge, quem cumpre o que prometeu. Logo, não só é possível, como também desejável e até mesmo, indispensável.
Para uma relação progredir, o casal deve agir com verdade, conversar sobre desejos, sonhos, futilidades e sexo. A infidelidade é justamente ocultar os fatos, seja no campo que for e não só no sexual. Deve-se deixar a verdade sempre à mostra, porque ela é suprema, eterna e real. Um relacionamento fiel é mais gostoso, lucrativo
e feliz, porque possibilita escolha e conversa.
Possibilidade que, com a mentira, deixa de existir.
Pimenta nos olhos dos outros é refresco e, para ser infiel, é preciso saber
arcar com as conseqüências que esse ato poderá trazer.
Cada um faz o que quer, mas ninguém quer ser traído. Quando você confia em alguém que escolheu para ficar ao seu lado, quer "exclusividade sexual" quer a garantia de fidelidade, por estar envolvido numa relação que te completa.
As pessoas traem quando não estão sendo correspondidas à altura.
A fidelidade é uma conseqüência de uma união sadia e verdadeira.
Como dizia Vinícius de Morais no 'Soneto de Fidelidade',
"De tudo ao meu amor serei atento / Antes, e com tal zelo, e sempre...",
frase tão completa que traduz exatamente o que é fidelidade em sua grandeza,
pois engana-se quem pensa que ser fiel é apenas não trair.
Existe uma utopia, um ideal dos casais em relação a esse assunto, que só entendem o lado sexual. Mas fidelidade é muito mais que isso, ela está na sinceridade do contato, do compromisso diante da vida, na preocupação diária com o parceiro. Quando optamos por uma relação séria e duradoura, a amizade deve estar sempre presente.
Se você quer zoar, não namore! Quando namorar, esteja disposto a construir uma relação e não sair com outra pessoa, mas evoluir com aquela que escolheu.
O maior problema da fidelidade está na construção dos relacionamentos, onde não
se fala tudo, não se é verdadeiro no sentido mais amplo da palavra.
As pessoas se acomodam com as coisas práticas da vida, a casa, as contas, a rotina... quebrar isso tudo dá trabalho e é mais fácil trair.
A honestidade é essencial e está acima da fidelidade, por isso é essencial que seja a primeira coisa a ser considerada num relacionamento sadio.
A velha máxima "não adianta chorar sobre o leite derramado" se aplica perfeitamente quando o assunto é sinceridade. A infidelidade traz marcas grandes para o casal, desequilibra a relação, pois fere a regra da cumplicidade, quebra o ideal e deixa cicatrizes difíceis de refazer. Essa situação, quando não tratada, pode acabar com o casamento. Quem não tem a clareza da necessidade de ser honesto, acaba traindo.
O diálogo é importantíssimo, pois se você é amigo da pessoa tem
que falar com ela e não trair a confiança.
Para não detonar sua relação, doses de criatividade e cumplicidade são indispensáveis, porque a vida agitada não ajuda em nada a manter a harmonia.
A loucura do dia-a-dia e a eterna guerra dos sexos estão acabando com os valores da boa convivência. Está muito difícil acreditar nas pessoas, tanto homens, quanto mulheres. Mas se você está com uma pessoa, é porque, a princípio, é a pessoa certa para você, não é mesmo?
Bem, se você trair, é porque a pessoa não é a certa. Então, por que não terminar antes da traição? Será menos traumático e dolorido para a outra pessoa...
Se a dor da infidelidade está sendo insuportável para o casal dar conta do recado sozinho, a melhor opção é pedir ajuda a um terapeuta.
O ideal é perceber que a situação não está boa e decidir procurar ajuda juntos.
Eles precisam pensar que esse é um momento de crise que pode passar, mas vão precisar mudar hábitos, manter o diálogo e agir para reverter a situação.
Com a palavra, mais uma vez, o poetinha: "Para viver um grande amor, na realidade, há que compenetrar-se da verdade de que não existe amor sem fidelidade...
Pois quem trai seu amor por vaidade é desconhecedor da liberdade, dessa imensa, indizível liberdade que traz um só amor". Precisa mais alguma coisa?

Clarissa Martins