Inspiração para os infelizes

Era uma vez, um pardalzinho que odiava ter que voar, todo ano,
para o Sul, por causa do inverno.
Ficava tão apavorado com a idéia de deixar seu lar, que decidiu adiar
a viagem até o último momento possível.
Depois de se despedir carinhosamente de todos os seus amigos pardais que partiram, voltou ao seu ninho e ficou ainda por mais 4 semanas.
Finalmente o tempo se tornou tão desesperadamente frio que ele não pôde adiar mais, mas quando o pardalzinho partiu
e iniciou o seu vôo para o Sul, começou a chover.
Rapidamente começou a se formar gelo sobre suas asinhas.
Quase morto de frio e de exaustão, foi perdendo altura
e caiu por terra num pátio de estrebaria.
Quando estava exalando o que pensava ser seu último alento,
um cavalo saiu da estrebaria e, virando o traseiro em sua direção, recobriu o pardalzinho de merda.
A princípio, o pardalzinho não podia pensar noutra coisa a não ser que aquele era um modo horrível de morrer: todo cagado.
Porém, quando a merda começou a subir e penetrar em suas pernas e penas, ele passou a se aquecer e a vida começou a voltar ao seu corpo.
Ele descobriu também que tinha espaço suficiente para respirar. Subitamente o pardalzinho sentiu-se tão feliz que começou a cantar. Naquele instante, um grande gato entrou no pátio da estrebaria e, ouvindo o gorjeio do passarinho, começou a remexer o monte de merda para descobrir de onde vinha o som.
O gatão finalmente descobriu a ave e a comeu.

Esta história contém quatro ensinamentos morais:
1.- Nem sempre quem caga em cima de você é seu inimigo;
2.- Nem sempre aquele que tira você da merda é seu amigo;
3.- Desde que você se sinta quente e confortável, mesmo
que seja num monte de merda, conserve o bico fechado;
4.- Quem está na merda não canta.