Loucura

Vontade de quebrar o relógio
pra não ver o tempo se arrastar,
isso seria mais do que lógico
pra quem estivesse no meu lugar.

Vontade de arremessar
um copo na parede,
quebrar o computador,
desaparecer da rede,
afogar a minha dor.

Vontade de sair gritando
e pouco me importando
com o que possam pensar de mim.

Vontade de agir, assim,
feito uma louca desvairada
e deixar de ser centrada.

Vontade de sair caminhando
sem ter nenhum lugar pra ir
e em hipótese alguma sorrir.

Vontade de não falar,
muito menos escutar.
Vontade de dormir
e não acordar.
Vontade de fugir
e nunca retornar.

Vontade de apagar todas as luzes,
e me livrar de todas as cruzes
que a vida me obriga a carregar.

Vontade de chorar
sem que ninguém venha me questionar
a razão de tantas lágrimas insistirem em rolar.

Vontade de me trancar dentro de mim
e nem quero saber se isso pode ser ruim.
Vontade de beber até cair
e sentada nos bares da vida,
sozinha, me destruir.

Vontade de esquecer a poesia,
ignorar o leitor e a sua fantasia
que eu alimento todos os dias.

Vontade de me jogar no poço mais profundo
que houver nesse mundo
e ficar lá dentro escondida
até o final da minha vida.

Vontade de desaparecer
porque de nada vale viver
quando estou longe de você!

Silvana Duboc